FAO: importação de alimentos deve atingir US$ 1,8 tri

As gorduras animais e os óleos vegetais são os maiores contribuintes






Impulsionada por preços e custos de transporte mais altos, em vez de volumes, a conta global de importação de alimentos deve aumentar de US$ 51 bilhões para US$ 1,8 trilhão em 2022, de acordo com o relatório Food Outlook divulgado em 9 de junho pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).


“Tendo em vista a disparada dos preços dos insumos, as preocupações com o clima e o aumento das incertezas do mercado decorrentes da guerra na Ucrânia , as últimas previsões da FAO apontam para um provável aperto nos mercados de alimentos e nas contas de importação de alimentos atingindo um novo recorde”, disse o economista da FAO. Upali Galketi Aratchilage, editor-chefe do Food Outlook.


Publicado duas vezes por ano, o Food Outlook oferece análises da FAO sobre a oferta de mercado e as tendências de demanda para os principais alimentos do mundo, incluindo cereais, oleaginosas, açúcar, carne, laticínios e peixes. Também analisa as tendências nos mercados de futuros e os custos de envio de produtos alimentares. A nova edição também contém dois capítulos especiais examinando o papel do aumento dos preços de insumos agrícolas, como combustível e fertilizantes, e os riscos que a guerra na Ucrânia representa para os mercados globais de commodities alimentares.


As gorduras animais e os óleos vegetais são os maiores contribuintes para as contas de importação mais altas que devem ser alcançadas em 2022, embora os cereais não fiquem muito atrás dos países desenvolvidos. Os países em desenvolvimento, como um todo, estão reduzindo as importações de cereais, oleaginosas e carnes, o que reflete sua incapacidade de cobrir o aumento dos preços.






Fonte: https://www.agrolink.com.br/noticias/fao--importacao-de-alimentos-deve-atingir-us--1-8-tri_466659.html

14 visualizações0 comentário