Internacionalização via e-commerce é tema de painéis e palestras no E-Xport Meeting 2022





Brasília – Tradicional evento realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), o E-Xport Meeting 2022 – Semana do E-commerce Internacional chega à sua 3ª edição conectando empresas do Brasil aos maiores especialistas em e-commerce internacional.


De 13 a 16 de setembro, em São Paulo, painéis e palestras apresentarão novas tecnologias do comércio on-line, tendências e melhores práticas para apoiar a internacionalização das empresas brasileiras por meio da transformação digital. Também serão apresentados casos de sucesso e realizadas rodadas de negócios com fornecedores de soluções para e-commerce e oficinas sobre os temas mais relevantes do setor.


O evento ocorrerá em formato híbrido, com transmissão ao vivo do campus da ESPM, na capital paulista. Neste ano, o E-Xport Meeting se consolida como o evento que trata o e-commerce internacional como uma estratégia para ampliar as exportações brasileiras, incluindo a transformação digital na promoção comercial e o marketing digital como fatores de sucesso para a internacionalização.


De acordo com a gerente de Competitividade da ApexBrasil, Clarissa Furtado, as oportunidades de negócios para quem tem presença on-line vêm aumentando, com previsão de crescer ainda mais nos próximos anos. “O evento apresenta tendências, boas práticas e tecnologias envolvidas no e-commerce global e estimula as empresas a aproveitar as oportunidades desta forma de comércio, que vem crescendo fortemente e já atingiu US$ 4,9 trilhões em negócios globais no último ano, com uma previsão de chegar a US$ 7,4 trilhões até 2025”, afirma Clarissa.


Os programas da ApexBrasil e de seus parceiros para preparação e aceleração da entrada das empresas no e-commerce global também serão apresentados durante a programação.


Interesse na internacionalização


O número crescente de empresas interessadas em ampliar suas vendas para o exterior no formato digital pode ser observado nos resultados do E-Xport Meeting do ano passado, quando 1,1 mil inscrições foram recebidas para o evento, 71% a mais do que em 2020. Em 2021, 2,8 mil visualizações on-line foram registradas, 44% a mais do que no ano anterior, e 623 pessoas participaram do evento, o que representou 30% de crescimento.


O perfil dos empresários que assistiram e participaram dos painéis, palestras e outras atividades organizadas para a Semana do E-commerce variou. Do total, 70% eram oriundos de micro e pequenas empresas; 67% já exportavam; 52% operavam e-commerce no Brasil; 78% não operavam e-commerce no exterior; e 87% queriam abrir e-commerce no exterior.


Entre os setores em que os participantes atuavam, estavam Alimentos e Bebidas; Casa e Construção; Moda e Calçados; e Higiene Pessoal e Cosméticos, tendo como mercados prioritários Estados Unidos, Chile, Argentina, Colômbia, México, Portugal, Alemanha, Inglaterra, Espanha, China, Austrália, Japão e Índia.


Diversos representantes de empresas brasileiras palestraram no evento, como Alibaba, Amazon, Mercado Livre, Usaflex, DHL, Google, LinkedIn, etc. A Stock do Brasil, empresa especializada em bebidas alcoólicas, também usou o espaço para apresentar sua experiência na internacionalização da marca.


Conhecida pela sua produção de destilados como licores e gim para vender seus produtos no exterior desde 2019 e encontra nesses espaços digitais a possibilidade de disseminar a marca em dezenas de países. A diretora da empresa, Valéria Natal, conta que participa de feiras e missões internacionais há mais de dez anos para impulsionar a internacionalização de seus produtos, mas encontrou nas plataformas digitais um ambiente que garante visibilidade a um baixíssimo custo.


“Sou super fã de marketplaces e acho que para as empresas a presença física é importante, mas acho também que é impossível você não estar em um ambiente virtual. Já exportamos para a Arábia Saudita e já recebemos contatos do mundo inteiro via plataforma do Alibaba. Jamais teria essa visibilidade que eu tenho hoje se não fosse o Alibaba.com. É muito mais barato, tenho visibilidade para o mundo inteiro gastando muito pouco por ano”, conta Valéria Natal. A ApexBrasil desenvolve projetos com a Alibaba.com, para vendas B2B em todo mundo, com subsídio para assinatura de dois anos com conta verificada.


O sucesso nas plataformas digitais para vender o produto brasileiro para o exterior é tão grande que a Stock do Brasil planeja abrir lojas em outros marketplaces nos próximos meses, incluindo acesso ao Tmall Global, plataforma B2C originária da China. A ideia é também entrar para a Amazon dos Estados Unidos e do Canadá, além de sites e apps usados no Oriente Médio.


Espaço para pequenos


Dentro do gigantesco universo do comércio on-line operam grandes e médias corporações, porém, há também espaço para pequenos empreendedores. Um exemplo bem-sucedido é da marca Le Motif, ateliê de porcelanas fundado por mãe e filha, em 2020. Foi por meio de plataformas digitais que o produto handmade feito pela dupla no Brasil conseguiu presença internacional, ampliando o próprio valor da marca em terras brasileiras. Depois de participar de feiras e projetos tocados pela ApexBrasil, a Le Motif conseguiu acesso à plataforma digital da Maison&Objet, importante feira de design de Paris que oferece, como um catálogo, o contato de empresas participantes.


“Através dessa plataforma, recebemos contatos e pedidos do mundo inteiro. Fechamos negócios e entregamos o nosso produto para a Índia, para o Canadá e estamos finalizando para a Inglaterra. Agora, estamos em processo para vender para a Austrália. Para a gente, a ferramenta principal para acesso ao mercado internacional é a plataforma da Maison, que tem uma característica que é validar o nosso trabalho, é uma feira mundialmente conhecida e de referência”, conta a co-fundadora do ateliê, Camila Souza, que falará de sua experiência para os participantes do E-Xport Meeting em setembro.


Camila e a mãe dela, Marta Watzko, ambas designers do ateliê, encontraram na pandemia da Covid-19 uma oportunidade para tornar o espaço mais conhecido, mirando na internacionalização de seus negócios. A entrada no mundo digital foi mais um passo para que chegassem a esse objetivo. Para tanto, além de outras iniciativas, se inscreverem no Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX), oferecido pela ApexBrasil e continuaram a participar de feiras digitais e presencialmente.


Fonte: https://www.comexdobrasil.com/internacionalizacao-via-e-commerce-e-tema-de-paineis-e-palestras-no-e-xport-meeting-2022/


28 visualizações0 comentário